segunda-feira, 19 de novembro de 2007

VIDA E MORTE


Um dia sairei deste corpo que me abriga.

morrerei, indubitavelmente, e sempre mais cedo que possa pensar.

Então este mundo verei perecer.

os prazeres da forma e da carne, as honras, as riquezas materiais, o apego nas coisas e nas pessoas, as tristezas e aflições, tudo isso se dissipará ante meus olhos.

Os pecados que agora tenho como se fossem pequenos átomos, na realidade parecer-me-ão montanhas e tudo que acredito possuir de grande entendimento, conhecimento e saber estarão reduzidos a um quase nada.

Que rumo seguirei, ó minha alma, ao deixar esse corpo, seu veiculo até este momento ?

Para que lado hei de voltar ?

Porque caminho entrar ?

apenas uma sólida certeza : será exatamente por aquele caminho que encetei já nesta vida.

A escolha que fizer agora, neste momento, nesta vida, perdura em outra;

até a transmutação, até a transformação,

até a construção de um homem novo.

( Vilemar Costa )

Nenhum comentário: