sexta-feira, 14 de dezembro de 2007

QUESTÃO DO BEM

Entre as questões que preocupam aos humanos existe uma para a qual muitos não conseguem encontrar uma resposta satisfatória : Porque é que o mal existe ?

Em primeiro lugar consideremos os seguintes pontos :

1- O mal é bastante forte mesmo sem a nossa ajuda e não devemos alimentá-lo;

2- Também não devemos tentar desembaraçar-nos dele, nunca o conseguiríamos; o que devemos fazer é descobrir que atitude proativa adotar em relação a ele.

Agora compreendamos o que é o bem : O bem é um princípio ativo criador; o bem é uma manifestação de Deus, uma manifestação harmoniosa em que entram a Verdade, o Amor, a Força, a Inteligência, a Sabedoria, o Conhecimento e a Beleza.

O bem ainda não é Deus; é uma manifestação de Deus. Deus está acima do bem e do mal.

E o que é o mal : o mal é um resíduo da manifestação do bem, o qual como tudo que se manifesta, cria resíduos, sobras. O mal é um resíduo do bem que sobra depois de se ter extraído a Quinta-essência do bem; é o que resta quando todo o bem foi “extraído”.

Daí o mal não poder existir por si próprio, não ter existência independente.

O mal nunca poderá ser comparado ao bem, não tem como ele, a eternidade, o poder e a riqueza.

Por isso, aqueles que pensam que o bem e o mal são duas entidades de igual potência em permanente combate, sem que uma possa vencer definitivamente a outra, enganam-se.

Enquanto os homens atribuirem ao mal uma existência própria, jamais conseguirão transformá-lo, e o mal continuará a afligi-los, porque são eles que, com a sua ignorância, lhe dão esse poder.

É certo que é mais fácil fazer o mal que o bem. Não porque o bem é fraco e o mal poderoso. Mas sim porque as condições que a humanidade criou na terra, pouco a pouco, são muito mais propícias e favoráveis ao mal.

Quereis fazer mal ? Todos estão de acordo em dar-vos uma ajuda, voluntária ou involutariamente.

Mas, se se tratar de fazer bem, é diferente, é como se o bem estivesse parado, anestesiado, impotente. E isso porque os homens vivem demasiado nas regiões inferiores dos sentidos e da matéria.

Compreendamos que, uma vez que o bem é uma manifestação de Deus, ao pensarmos no bem ligamo-nos ao Grande Arquiteto do Universo, ao Princípio Eterno, e a nossa consciência se desloca do sofrimento, da angústia, do nível denso dos impulsos e instintos, elevando-se ao nível da Graça, da Beleza e da Bem-Aventurança.

Por essa compreensão seremos capazes de acionar forças extraordinárias e teremos verdadeiras realizações.

Compreendamos que só com Sabedoria , Inteligência, Conhecimento, Amor e Beleza seremos capazes de utilizar o bem e, sobretudo, proceder de tal maneira que o bem não se transforme em mal.

Por essa compreensão as forças do bem limparão e organizarão tudo maravilhosamente, segundo as Leis da Verdade.

Vilemar F. Costa.’.

Nenhum comentário: