quinta-feira, 31 de julho de 2008

Como o fundo do oceano


Quando passamos a considerar que o propósito da vida é aprender e que tudo é aprendizado, as circunstâncias pelas quais nós aprendemos começam a ter menos importância.
Isso significa que devemos fazer o melhor que podemos em todas as ocasiões, e sabermos que, aconteça o que acontecer, tudo está bem.
Significa que tudo deve ser recebido apenas como uma lição da qual se pode obter crescimento e conhecimento, e embora talvez lutemos por muitas coisas, nossas mentes devem estar voltadas para o bom cumprimento do nosso dever em relação a cada uma das coisas, à medida que a expansão do nosso aprendizado e conhecimento nos dá mais percepção.
Quando agimos com decisão, entendimento e firmeza em relação aos acontecimentos, produzimos segurança ao que fazemos.
Lembremos contudo que o fazer é anterior ao saber, ou como disse Heidegger : Construir, habitar e ser.
Fazer o melhor que podemos em todas as ocasiões, - nas atitudes relacionadas com os estudos, com o trabalho e quaisquer outras atividades de nosso contexto de vida, agindo bem, com dedicação e zelo - fazer o melhor lembrando que o bom é “inimigo” do ótimo.
Entretanto, é conveniente que estejamos cientes das eventualidades para assumirmos situações inesperadas e mesmo adversas, com sabedoria, coragem, força e serenidade.
E frente ao inesperado, às eventualidades e adversidades, assim mesmo, ser como o oceano, com a superfície em ação, mas com a maior parte de nós calma – imóvel, Como disse certa vez William Judge, membro da Sociedade Teosofica, (...): “O oceano da vida traz até nossos pés, e afasta novamente, boas coisas e coisas que são difíceis de perder ou que causam dor ao ser recebidas, no entanto todas elas pertencem à vida. Então apóie-se sobre Deus – seja como o grande fundo do oceano que nunca se movimenta, embora as tempestades possam alterar sua superfície.”
Vilemar F. Costa .’.

Um comentário:

Verônica Aroucha disse...

Vilemar, belo texto!
Não só na forma estrutural, porque a beleza vai além de bons contornos, mas sim, por ser uma mensagem para mim, edificante.
A dor é um mistério, ainda bem, que temos esta vasta e paciente planície, sempre pronta a doar essa PAZ.
Abraço de admiração e amizade.
Verônica